Imagen Institucional
Ayudas AEDID para la cultura

O PROGRAMA IBERESCENA FAZ 10 ANOS!!
 

As celebrações terão lugar nos diferentes países integrantes do Programa durante o último trimestre do ano.

Podes visitar a web e as redes sociais (facebook e twitter) para acompanhar as atividades

 

 

NOTÍCIAS

"6º Na Ponta do Nariz- Festival Internacional de Palhaçaria e Comicidade", Brasil

A revolução é do feminino

A palhaçaria e o mundo do circo têm sido um ambiente com pouco espaço para o protagonismo da mulher. Esta ausência histórica, bem como o apagamento da autoria e da produção das artistas circenses, representam limitações que impactam diretamente na diversidade, que é sintoma de riqueza cultural. Naturalmente, o mesmo ocorre em outras linguagens artísticas e, no início do século 21, todas elas estão vivenciando visibilidade ampliada do trabalho feminino, como uma tendência de transformação social irreversível.

Atenta às questões do nosso tempo, a sexta edição do Na Ponta do Nariz – Festival Internacional de Palhaçaria e Comicidade deseja fortalecer este movimento. Um programa com mais mulheres em cena nos aproxima da compreensão do Sagrado Feminino, para o entendimento do que é ser humano no mundo contemporâneo, em relações que extrapola a definição de gênero..

Primeiro projeto goiano a receber o Prêmio IBERESCENA − Fundo de Ajuda para as Artes Cênicas Ibero-americanas, o 6º Na Ponta do Nariz é, além de mostra de espetáculos de palhaçaria de alto nível, espaço para criação e fortalecimento de redes colaborativas de sustentabilidade em arte. Mais uma vez, convocamos nossos hermanos para compor uma programação internacional, nos posicionando como potência cultural, artística e econômica. Latinos e femininos, buscamos abrir olhares e provocar inquietações.

Com apoio para realizarmos uma mostra internacional latino-americana e ações essenciais para a realização do festival, a programação local e regional, abrimos espaços de parceria para circulação de produções independentes. Desta forma, agregamos espetáculos de Goiás e de vários cantos do Brasil. Nasce assim um espaço para pensarmos sustentabilidade na prática.

Quanto vale o trabalho do artista e da artista? Cabe aqui o discurso sobre sustentabilidade e a importância de que o público pague pelo consumo de produtos artístico-culturais, que provoquem e fujam à lógica de mercado. Para além do que o dinheiro pode pagar, conectado com a cidade, o festival busca se tornar espaço poético e político de inclusão e pensamento sobre a continuidade e desenvolvimento do trabalho artístico em Goiânia.

Durante o Na Ponta do Nariz, a cidade é visitada por artistas de todo o país e do mundo, e acreditamos na importância de criarmos uma relação do festival com a cidade. Por isso, temos um After que inclui na programação os points, pubs, casas de shows e espaços culturais. Anseio de mostrar uma Goiânia de efervescência cultural singular que está ligada aos movimentos artísticos alternativos na capital.

Curadoria
Desde o seu surgimento, o circo vem encontrando meios de permanecer vivo diante das mudanças no mundo. E o palhaço, como um dos seus mais fortes ícones, é seu embaixador para o teatro, para o cinema, para as ruas e para as múltiplas artes. Este ser se encontra ali, disfarçado num ator cômico ou numa banda irreverente ou mesmo numa pintura brincante ou provocativa. O palhaço existe desde sempre em todas as culturas humanas e tem a função social de criar ponte entre o povo e o poder, com o risco de perder a cabeça caso a crítica seja boa, mas a piada não faça rir. É no riso que desmanchamos o medo e reconhecemos nossa própria barbárie.

O festival propõe a investigação de um palhaço para além da imagem desgastada do palhaço tradicional. E de um circo que vai além do circo. Esta é uma proposta de formação e fortalecimento dos profissionais que atuam com palhaçaria. Formação é a espinha dorsal que estrutura todo o festival. A curadoria de espetáculos, a mostra de filmes Cine Clown, o Fórum de Sustentabilidade em Arte, a Palhaceata e todas as ações propõem aprendizado. Assim, em cada edição do Festival temos grandes mestres e mestras da palhaçaria que ministram cursos intensivos para profissionais de todo o país e do mundo, com espaço para apreciação do desenvolvimento dos trabalhos no espetáculo de variedades que encerra o festival.

Terminando pelo começo, a Palhaceata é o ato público que abre o festival, como uma grande intervenção urbana que corta o centro da cidade e transborda para o Setor Universitário, num percurso que liga a Praça Cívica à Praça Universitária. Gestão e investigação. Poder e razão.

A equipe

+INFO

 

6º Na Ponta do Nariz recebe inscrições para oficinas até terça-feira (5/9)

Pepa Plana (Espanha), Marcelo Bones (MG) e João Carlos Artigos (RJ) são os mestres palhaços convidados para ministrar as oficinas do 6º Na Ponta do Nariz. As inscrições podem ser feitas até 5 de setembro (terça-feira) pelo e-mail grupobastet@gmail.com, mediante envio de dados pessoais, carta de interesse e currículo. Realizado pelo Grupo Bastet, com apoio do Fundo de Arte e Cultura de Goiás, entre 15 e 28 de setembro, o festival internacional de palhaçaria e comicidade também prevê espetáculos, Cine Clown, o Fórum de Sustentabilidade em Arte, show de variedades e a já tradicional Palhaceata, intervenção urbana de abertura.
Mais info: http://www.napontadonariz.com

A palhaça catalã mais conhecida da atualidade fez fama mundial no elenco do Circo de Soleil, com o espetáculo Amaluna (2012). De passagem por Goiânia, Pepa Plana conduzirá a oficina “Viver en el país de si!!”, entre 16 e 19 de setembro, no SESC Centro. Com carga horária de 20 horas, o curso é gratuito e aborda o signo do palhaço não como personagem ou ator, mas como pessoa. “O mais humano dos seres humanos. O palhaço já existe dentro de si e é ele multiplicado por mil. Trabalhar com o palhaço é trabalhar com o coração”, reflete a atriz.

Também gratuita, a oficina com Marcelo Bones pretende inspirar “Caminhos para a Circulação Nacional e Internacional”, de 17 a 19 de setembro, no Teatro SESC Centro. Programador, consultor e assessor de importantes festivais teatrais brasileiros, Marcelo Bones tem como objetivo a capacitação de companhias, grupos e produtores das artes cênicas para ampliação das possibilidades de circulação pelo mundo. A ementa também visa preparar os participantes para o MICSUR − El Mercado de Industrias Culturales del Sur, que acontecerá em abril de 2018, em São Paulo.

Em parceria com o projeto Palhaço Beterraba em Concerto, o Grupo Bastet inclui na programação do festival “O jogo como técnica”, a ser ministrado pelo carioca João Carlos Artigos, nos dias 22 e 23 de setembro, no Teatro SESC Centro. Com 8 horas/aula, o curso é voltado para quem desejam utilizar as tecnologias humanas para comunicar/afetar outras humanidades e custa R$ 200. Para desenvolver o trabalho, o artista instiga os atores participantes a tornarem seu ofício uma brincadeira, uma experiência de fruição coletiva, utilizando princípios técnicos seculares, que tornam a arte de fazer rir uma necessidade vital.

“A formação é a espinha dorsal que estrutura todo o festival. Por isso, a cada edição do Festival programamos grandes mestres e mestras da palhaçaria, que ministram cursos intensivos para profissionais de todo o país e do mundo”, arremata o diretor do Grupo Bastet, Thiago Moura. Segundo ele, o trabalho resultante das oficinas também integra a programação, por meio do Cabaré Na Ponta do Nariz, show de variedades que encerra o festival no dia 28 de setembro. Com direção de... a montagem do espetáculo final envolverá os participantes das oficinas, em atividades nos dias 23, 25, 26 e 27 de setembro, durante a tarde no SESC Centro.


SERVIÇO

Oficina: Viver en el país de si!!
Ministrante: Pepa Plana (Espanha - Catalunha)
15/9 - 13h às 16h
16/9 - 9h às 13h
17/9 - 14h às 18h30
18/9 - 14h às 18h30
19/9 - 14h às 18h
Teatro SESC centro
Carga horária: 20 horas

Oficina: Caminhos para a Circulação Nacional e Internacional
Ministrante: Marcelo Bones (MG/Brasil)
17 a 19/9 - 10h às 13h
Teatro SESC centro
Carga horária: 9 horas

Oficina: O jogo como técnica
Ministrante: João Carlos Artigos (Rio de Janeiro/Brasil)
22 a 23/9 - 9h às 13h
Teatro SESC centro
Carga horária: 8 horas

Direção do Cabaré na Ponta do Nariz
23, 25, 26 e 27/9 - 14h às 18h
Teatro SESC centro
Carga horária: 16 horas

Mais info: http://www.napontadonariz.com

Assessoria de imprensa: Larissa Mundim (zeroum comunicação) – 9-9968-1658